Alunos do Neves soltam carta aberta pedindo retorno das aulas presenciais

CARTA ABERTA AO GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

A pior cegueira é a mental, que faz com que não reconheçamos o que temos a frente. Desde o começo da pandemia em nosso Estado, em março de 2020, a educação vem passando por mudanças em sua estrutura. Mudanças essas que fortaleceram o negacionismo estatal, e que deixaram milhares de crianças, adolescentes e adultos com sua saúde mental extremamente abalada.

Um breve resumo do cenário atual, caso ainda não tenha ficado claro o suficiente em suas mentes: estudantes da rede pública sem aulas há mais de um ano. Sua situação, que já era difícil, teve uma piora. Profissionais se desdobrando para tentar ajudar esse público, e o Estado dificultando cada vez mais. Recursos que deveriam ser destinados a manutenção das escolas, mais uma vez sendo desviados para outros setores por desorganização e falta de comprometimento do Estado.

Alunos da rede privada, ainda com o privilégio de aulas remotas, estão esgotados mentalmente. Profissionais com o dobro de carga, trabalhando a todo o momento para garantir o funcionamento da educação. E quanto aos alunos com necessidades especiais? Estes, mais do que ninguém, necessitavam de aulas presenciais, mas o Estado, mais uma vez, finge não ver este público, e chega a irracional decisão de que o ensino remoto também supre suas necessidades cognitivas.

Desmotivação. Essa é a palavra que cerca diversos estudantes e profissionais atualmente. Tentamos, e tentamos todos os dias, mas já se tornou algo extremamente exaustivo. Pedimos para que parem de disputas ideológicas, e trabalhem em conjunto para o bem comum. Afirmar que o ensino remoto supre as necessidades é mais uma prova do negacionismo público.

Caso não haja capacidade racional o suficiente por parte de seu governo para trabalhar com soluções, aqui vão algumas: vacinação prioritária dos profissionais de educação, investimento em protocolos sanitários para rede pública, e fiscalização sanitária para as instituições privadas. O que não pode continuar é uma disputa de poder, em um cenário extremamente delicado como este que estamos vivenciando.

Apelamos para o retorno das aulas presenciais, pois a educação é sim essencial. Como diria Paulo Freire: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.”

Em nome dos estudantes do Colégio Nossa Senhora das Neves. BG

(Abaixo-assinado AQUI).