Após rumores de nova greve, “braço-direito” de Tarcísio esclarece como está o diálogo entre governo e caminhoneiros (veja o vídeo)

Após o último dia 7 de setembro, dia no qual ocorreram manifestações em peso Brasil afora, caminhoneiros prometeram parar o país nos dias seguintes até que as pautas reivindicadas fossem atendidas. No entanto, após a divulgação de um áudio do presidente Jair Bolsonaro pedindo que liberassem as estradas, os bloqueios foram desfeitos.

Um rumor de uma nova paralisação, que supostamente iniciaria no dia 26 de setembro, começou a rodar nas redes sociais e em grupos de aplicativos de trocas de mensagens. Em vídeo divulgado pela deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), o caminhoneiro Zé Trovão, um dos responsáveis pelas movimentações no dia da independência, afirma que não possui nenhum envolvimento com uma possível paralisação dos caminhoneiros no próximo dia 26.

Em entrevista, o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, braço-direito do ministro Tarcísio de Freitas, ao ser questionado sobre o diálogo da pasta com os caminhoneiros, fez questão de esclarecer a situação:

“Assim que chegamos aqui em 2019, estipulamos a agenda de diálogo como prioridade. O próprio ministro Tarcísio faz parte de mais de 40 grupos de WhatsApp, com a disponibilidade de tempo para dialogar de forma frequente com a categoria.”

O secretário além de reiterar confiança no diálogo do Ministério, aproveitou para destacar o serviço de inteligência da pasta e poder de articulação junto à classe:

“Este diálogo faz com que a gente consiga conhecer as lideranças. Nós já tivemos seguramente 12 tentativas de greve durante esses dois anos e nove meses, e nenhuma delas bem-sucedida. Isso mostra, primeiro, um trabalho muito forte de inteligência do Ministério da Infraestrutura, em parceria com outros órgãos. […] E o trabalho preventivo que nós temos feito junto à categoria.”

Sampaio, servidor de carreira do atual Ministério da Infraestrutura há 13 anos, assumiu o cargo de secretário-executivo em janeiro de 2019, quando foi convidado pelo ministro para assumir a cadeira. O secretário vem se destacando durante este período como “número 02” do Ministério, tal desempenho já o faz ser cotado para assumir a pasta caso os rumores de uma possível saída de Tarcísio de Freitas para disputar algum cargo eletivo se concretize no ano que vem.j da cidade

Confira o vídeo:

Alexandre Magnani