Bolsonaro lidera popularidade nas redes sociais, aponta pesquisa da FGV

 

Apesar dos indicativos de rejeição em pesquisas eleitorais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda lidera em popularidade nas redes sociais.

É o que aponta uma pesquisa da Diretoria de Análises de Políticas Públicas da FGV (Fundação Getúlio Vargas) que mostra que a queda de interações com o presidente caiu desde agosto deste ano, mas não o tirou da liderança, polarizando com o ex-presidente Lula (PT).

A FGV mostra ainda uma terceira via sem encontrar espaço, mesmo com a chegada do presidenciável Sergio Moro, que repete nas redes sociais a dificuldade do mundo real, de encontrar espaço.

No Twitter, por exemplo, segundo aponta a pesquisa, os principais nomes para 2022 apareceram em 17 milhões de postagens entre 28 de setembro e 10 de novembro.

Embora na liderança, com 41,1% das interações, Bolsonaro apresenta queda constante desde agosto e a maioria das postagens são críticas, sobretudo, pela crise econômica no país e por sua posição contrária à distribuição gratuita de absorventes.

Lula, com 34,9% das interações, vem em segundo, muito à frente dos possíveis candidatos da terceira via. Moro, João Doria e Ciro Gomes não ultrapassam juntos 12% do total das postagens.

O pedetista, porém, tem se destacado e se firma na plataforma como terceiro mais lembrado e mais que dobrou seus números entre agosto e setembro.

Bolsonaro lidera no Facebook com 80% das interações. Lula vem em seguida, com 15%. Nomes da terceira via não apresentam engajamento relevante. Um dos candidatos, Moro nem perfil na rede tem.

Cenário é semelhante no Instagram, mas a entrada do ex-juiz na disputa o fez ultrapassar Lula e ser o segundo com maior número de interações, atrás do presidente Bolsonaro.

No YouTube, Bolsonaro perdeu 50% das visualizações entre agosto e outubro, mas ainda lidera tendo os vídeos de suas lives de quinta-feira como o principal propulsor. Xerife