CENSURA: Índia ordena que redes sociais parem de disseminar a expressão ‘variante indiana’

Atual epicentro da pandemia de covid-19, a Índia vem sofrendo ainda mais desde o surgimento do que tem sido chamado de “variante indiana” do coronavírus. A B.1.617, trata-se de uma nova cepa, hoje predominante em todo o país asiático e que já chegou ao Brasil.

O governo da Índia determinou que a expressão “variante indiana” pare de ser utilizada nas plataformas digitais, sob pena de as empresas terem de pagar multas.

 

“Estamos cientes de que estão circulando na internet informações falsas sobre uma variante indiana do coronavírus que está se espalhando em outros países. Isso é completamente falso”, diz um comunicado do governo indiano ao qual a agência France-Presse teve acesso.

O governo já havia feito uma série de apelos, de acordo com o Ministério de Tecnologia da Informação, para que “notícias falsas e desinformação” fossem contidas no país, mas as empresas de tecnologia teriam se recusado a tomar qualquer atitude. Ainda segundo as autoridades indianas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) não relacionou a nova cepa do coronavírus “a nenhum país específico”.

A variante indiana do coronavírus já foi identificada em pelo menos 43 países, entre os quais Reino Unido e Brasil.