Democracia? Barroso defende desmonetização de canais conservadores

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, defendeu a desmonetização de jornais conservadores, que, segundo ele, estariam disseminando notícias falsas e ataques ao sistema eleitoral.

Uma coisa é criticar as urnas. Outra é ter grupos financiando ataques às urnas visando descredibilizá-las. Quanto a isso, pode haver providências de natureza criminal, e o TSE conseguiu promover a desmonetização desses sites“, disse o também ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em agosto, o corregedor-geral do TSE, Luis FelipeSalomão, determinou que as redes sociais suspendam o repasse de valores a canais conservadores que, segundo o entendimento dele, “comprovadamente” propagam desinformação sobre as eleições.

Os canais listados na decisão de Salomão, no entanto, são apenas os que têm divulgado os questionamentos do presidente Jair Bolsonaro em relação às urnas eletrônicas. Terra Brasil