Deputado de Minas Gerais quer propor lei de teste toxicológico em universidades públicas de MG

Após uma enxurrada dos chamados “passaportes sanitários”, em várias cidades de Minas, o deputado Coronel Sandro (PSL), voltou as atenções para o Projeto de Lei 1.083/2019, que exige a realização de exames toxicológicos para o ingresso e renovação de matrícula de alunos em Universidades Estaduais, apelidada pelo próprio parlamentar de “Lei Maconha Zero”.

O PL está em tramitação na Casa desde o seu protocolo e, segundo o deputado, é o momento ideal para voltar todas as atenções para os cuidados com a educação, uma vez que, exigindo passaporte sanitário, deveria exigir passaporte toxicológico também. “Chega dessa maconhada, de cheirador de pó dentro das instituições de ensino. Ensino público de nível superior não é para maconheiro, não é para cheirador de cocaína. Vamos dar um basta nisso. Educação é para ser levada a sério”, afirma o parlamentar. Atualmente, a proposta está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa e o deputado disse que vai articular para que seja votada o quanto antes possível para ir a plenário. “Vou conversar com meus pares, com os líderes, para que possamos colocar em votação e levar esta proposta ao plenário. É inadmissível que pessoas ingressem no ensino superior gratuito e utilizem este espaço para o consumo de drogas”, conclui Terra Brasil