Deputado denuncia “quebra de compromisso” e de “palavra” de Fátima com militares

O deputado estadual Coronel Azevedo (PSC) criticou a “quebra de compromisso e a falta de honrar as palavras” do Governo estadual após uma reunião realizada com o vice-governador e representantes de associações. “Isso já é marca patente do governo Fátima do PT: o descompromisso com a Assembleia Legislativa e com os operadores da Segurança Pública”, disse.

Ele lembrou da maior mobilização de militares estaduais realizada em 17 de junho de 2019 em que ficou documentado com membros do Governo que seria dado prioridade à Segurança Pública “e não é isso que está acontecendo”. “O Governo descumpre diariamente esse compromisso com os militares estaduais”, denunciou.

Ex-comandante-geral da PM, ele comentou a respeito da Assembleia Geral dos militares estaduais e a “tendência é cada vez mais nos unirmos pela defesa do que resta da nossa categoria que está constantemente sendo desrespeitada”.

O parlamentar lembrou a ausência de um plano emergencial para os operadores de segurança no enfrentamento da Covid-19 e que foi solicitado no ano passado. “Policiais militares em Jardim de Piranhas com situação gravíssima pela doença”, disse.

Coronel Azevedo citou episódios em que o Governo mostrou desrespeito com os militares estaduais e, em especial, o que ele classificou como “abril sangrento”.“Assassinato de policiais nunca visto nesse estado”, comentou.

Ainda em sua fala, o deputado disse que vai “cobrar os compromissos que o Governo assumiu com a categoria de militares estaduais”. “Queremos o vale-alimentação, o pagamento das folhas salariais em atraso, o encaminhamento da lei de proteção social dos militares estaduais, que o Ipern [Instituto de Previdência do RN] ‘sentou’ em cima do processo há três meses a mando do governo Fátima”, elencou.

Segundo o deputado, “a governadora Fátima Bezerra parece que já definiu que lado ela quer ficar e não é do lado da polícia”.