“Fruto de atitude arbitrária e autocrática de um ser abominável, O Xandão”, diz Roberto Jefferson em carta

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, escreveu uma carta em que chama o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de “ser abominável” e compara Moraes a um “saco de excremento”.

Segundo o ex-deputado, o documento foi escrito dentro do hospital, onde faz tratamento de uma infecção urinária. Ele segue em prisão preventiva e é monitorado por tornozeleira eletrônica. A informação é do Portal O TEMPO.

Na carta, publicada pela vice-presidente do PTB, Gacela Nienov, Roberto Jefferson se considera um “preso político”. O ex-parlamentar classifica a prisão como “ fruto de atitude arbitrária e autocrática de um ser abominável, O Xandão”, apelido com o qual se refere ao ministro Alexandre de Moraes.

Ao comparar sua prisão ao estado de saúde em que se encontra, Roberto Jefferson fez novos ataques a Moraes: “Em comum entre as duas prisões são os mandantes; os mandantes originam, simbolicamente, do mesmo lugar um saco de excremento; saco de matéria sólida e fétida a ser excretada pelo organismo humano. Serão excretados”.

No restante do texto, o presidente do PTB fala sobre conflitos internos do partido e conclui dizendo que “é próxima a vitória”.

Confira a íntegra da carta escrita por Roberto Jefferson:

Reflexão de um preso político

Estou confinado à prisão decretada e à prisão adquirida.

Uma é fruto de atitude arbitrária e autocrática de um ser abominável, O Xandão. A outra é consequência do império das bactérias anaeróbicas que povoam nossas vísceras. Em comum entre as duas prisões são os mandantes; os mandantes originam, simbolicamente, do mesmo lugar um saco de excremento; saco de matéria sólida e fétida a ser excretada pelo organismo humano. Serão excretados.

Vejo numa rebelião doméstica pelo poder dentro do PTB. Há um pequeno grupo, que identifico, vozes mexicanas, paulistanas e alagoanas, tentando desestabilizar a Graci visando o meu lugar. Esquece o grupo de combinar “o jogo com os russos”. Aquela cadeira histórica é maior que a ambição do trio.

Do Samaritano tenho observado a movimentação. Ainda não será dessa vez que eu vou partir. Antes de encerrar a jornada limparei o partido dessas infestações. Tenham certeza. Política não é dinastia. Política não é coronelismo. Política não é esperteza.

Nossa legenda servirá o povo. Servirá pelo poder do amor. Não servirá pelo amor ao poder.

P reparei a Graciela Nievov desde de sua meninice para me substituir.

Ela galgou desde a base, nos movimentos, jovens e da mulher as posições da hierarquia partidária. Ela é cristã, honrada, correta, leal e comprometida com o nosso ideário. Ela está pronta para maiores desafios.

Saibam: Brigou com a Graci brigou comigo.

Enquanto eu estiver preso, desejo constituir uma comissão de veteranos, conselho consultivo, para protegê-la, com poderes para dissolver provisórias e expulsar murmuradores de nossa Graci: Gean Prates, Rodrigo Valadares, Marisa Lobo, Paulo Bengtson, Jefferson Alves, Mical Damasceno e Marcus Vinícius.

Aos leões e leoas petebistas informo que estou bem. Farei exames de imagem na segunda-feira. Terça-feira farei o cateterismo e quarta encerrarei o tratamento com antibióticos. Estou bem, agradecido aos meus irmãos a força que fizeram para que eu vir para o hospital.

Não há glória sem sofrimento.

É próxima a vitória. Terra Brasil