Governo do RN dispensa Fundação Rampa e agora pagará R$ 6 milhões para reunir acervo para museu

Mais de 6 milhões de reais em dinheiro público poderão ser gastos pelo Rio Grande do Norte para buscar, catalogar e “custodiar” um acervo que já existia, mas que o Governo Fátima pouco se interessou. Essa foi a informação revelada em reportagem divulgada ontem (14), no Jornal das Seis, da 96 fm.

Desde 2015, ainda na gestão Rosalba Ciarlini, a Fundação Rampa, que detinha esse acervo histórico da participação do RN na Segunda Guerra, dialogava com o Governo do Estado para transferir para o futuro complexo, todos os documentos, imagens e informações que possuíam. Em 2019, o Governo Fátima não só suspendeu as conversas, como pediu o prédio onde funcionava a Fundação de volta, fazendo com que ela tivesse que abrir mão do acervo e devolver parte dele aos proprietários legais (historiadores, pesquisadores e familiares).

Em maio, veio a surpresa: aprovou um projeto da Casa da Ribera, via Fundação José Augusto, para a inscrição na Lei Câmara Cascudo no valor de R$ 6,5 milhões. O projeto tem o objetivo de reunir itens para o Museu da Rampa. Ou seja: reunir os itens que já estavam reunidos e o próprio Governo “espalhou”.

Assista ao vídeo abaixo:

Com informações do Blog Gustavo Negreiros.