Mesmo com PEC do voto auditável em andamento, TSE começa a comprar urnas sem impressora

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) inicia nesta próxima terça-feira (29) o processo de compra de até 176 mil urnas eletrônicas para serem usadas nas eleições de 2022. A previsão de gasto é de R$ 980,8 milhões com a aquisição dos equipamentos. Segundo o edital de licitação, não foi incluída a compra de impressoras.

Ou seja: se o Congresso Nacional aprovar o voto impresso para as próximas eleições, a Justiça Eleitoral vai precisar desembolsar mais dinheiro. Segundo o TSE, do ponto de vista técnico, é possível realizar ajustes para acoplar módulos impressores de votos em todos os modelos de urna – inclusive os novos.

Mesmo com essa possibilidade, técnicos do TSE afirmam que será praticamente inviável garantir o voto impresso em 100% das urnas até as eleições de 2022. O principal impasse é a falta de capacidade da indústria de tecnologia da informação para produzir as impressoras em tempo hábil.terra Brasil