Ministro diz que se houvesse interferência no Enem “algumas perguntas nem estariam ali”

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse neste domingo (21.nov.2021) que se houvesse interferência do governo nas questões do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) algumas delas não estariam ali.

Ele deu a declaração em entrevista a jornalistas no auditório do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), em Brasília. Mais cedo, neste domingo, foi aplicada a 1ª etapa da prova da edição de 2021 do Enem.

Na última semana, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), disse que a prova começava a ter “a cara do governo”. A declaração foi entendida por setores da política como um indício de que o governo estaria interferindo no conteúdo do exame.

“Quando o presidente fala que esse Enem começa a ter a cara do governo, eu reafirmo que tem mesmo. Seriedade, transparência, assuntos de cunho acadêmico, sem desvios de recursos, sem vazamento de questões ou provas, essa é a cara do nosso governo”, disse Ribeiro na entrevista.

Setores mais ideológicos do bolsonarismo, influenciados pelo escritor Olavo de Carvalho, dizem que o Enem e a educação de modo é aparelhada pela esquerda.

“Tentaram politizar a prova. Não houve nenhuma interferência”, disse Milton Ribeiro, que completou: “Talvez se tivesse nossa interferência, poderia ser até que algumas perguntas nem estivessem ali”.

Poder 360