Na pandemia, violência contra as mulheres cresce no Brasil e no RN

Foto: Marcos Santos/USP

Enquanto as pessoas precisaram passar mais tempo em casa para tentar evitar o contágio do novo coronavírus, a violência doméstica foi aumentando mensalmente nos lares brasileiros. Uma em cada 4 mulheres acima de 16 anos, afirmou ter sofrido algum tipo de violência ou agressão nos últimos 12 meses, durante a pandemia da covid-19, segundo o mais recente relatório do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. No Rio Grande do Norte, isso se refletiu em aumento nos registros de Boletins de Ocorrência e nas denúncias em diferentes órgãos de defesa e proteção, como o Ministério Público do Estado (MPRN) e a Defensoria Pública do RN.

Nos registros da Polícia Civil, os números de Boletins de ocorrência aumentaram em 9,9% quando se compara os sete meses antes da pandemia com os sete meses depois. Passou de 2.041, entre agosto de 2019 e fevereiro de 2020, para 2.264 entre março e setembro de 2020. Não foi possível comparar os números de anteriores em 2019 porque, naquele ano, nem todas as delegacias contavam com o sistema eletrônico que promoveu mudanças na base de dados, podendo gerar distorções na comparação dos números.

Já com o novo sistema, a plataforma da Polícia Civil do RN fechou 2020 com 4.211 Boletins de Ocorrência relacionados à violência contra mulheres. Quando se compara os cinco primeiros meses de 2020 ao mesmo período de 2021, o aumento nos registros de violência doméstica saltam 39,9% (de 1.589 entre janeiro e maio de 2020 para 2.160 no mesmo curso de tempo em 2021). Veja reportagem completa na Tribuna do Norte.