O plano sórdido de Aziz, Renan e Randolfe, com o final da CPI do Circo

No dia 21 de outubro o relatório de Renan Calheiros será entregue ao procurador-geral da República, Augusto Aras.

O PGR tem 30 dias de prazo para dar encaminhamento ao relatório final da CPI.

A cúpula da CPI tem pleno conhecimento de que não produziu absolutamente nada que pudesse incriminar o presidente da República.Todas as narrativas foram devidamente exterminadas.

Assim, numa análise técnica do caso, é bastante provável que todo o relatório seja encaminhado para o arquivo. Noutras palavras, para a “lata do lixo”.

Antevendo isso, mas disposta a prosseguir com as narrativas, a cúpula da CPI parece que já traçou uma estratégia.

A colunista Malu Gaspar, do jornal O Globo, acaba de revelar que membros da CPI já estão discutindo a alternativa com membros da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), que podem assumir a causa em nome de associações vítimas da Covid.

Em caso de arquivamento do relatório pelo Ministério Público, parentes de vítimas da Covid-19 devem ingressar com ação direta privada junto ao STF.

A OAB, comandada por Felipe Santa Cruz, assumiria a causa em nome de associações vítimas da Covid.

Um escárnio…

É a politização do judiciário com interesses meramente eleitoreiros. Jornal da cidade