Presidente da comissão da PEC do voto impresso diz está preocupado com articulação contrária nos bastidores

18765_D79D18DF5FE58654 Presidente da comissão da PEC do voto impresso diz está preocupado com articulação contrária nos bastidores

Mesária computa voto de eleitor em São Paulo (SP)Foto: José Brito/CNN Brasil

 A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a PEC (proposta de emenda constitucional) que visa a instalação de um sistema de impressão de voto nas eleições promete colocar a PEC em votação na próxima semana.

Segundo o presidente do colegiado, deputado Paulo Martins (PSC-PR), os parlamentares vão terminar a discussão do relatório na segunda-feira (5) e votar o parecer na quinta (8). No entanto, apesar de ser favorável à matéria, Martins acredita que para a aprovação na comissão e no plenário da Casa, deve haver uma articulação urgente.

Para o parlamentar, o resultado só seria diferente se houvesse uma nova articulação política para que os partidos e líderes apoiassem a proposta. Na quarta-feira (30), presidentes de partidos, entre os quais legendas aliadas ao governo Jair Bolsonaro – um dos principais defensores do voto impresso -,  se reuniram com os ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes para discutir o conteúdo da PEC. Ao menos dez partidos já se posicionaram contra a matéria e articulam maneiras de barrar a aprovação do texto na Câmara dos Deputados.

No início da semana, o deputado Filipe Barros (PSL-PR) apresentou parecer favorável à PEC. No relatório de 68 páginas, Barros tentou enfatizar que a matéria não tem como intenção acabar com a urna eletrônica. “A proposta é muito clara e sua redação é curta e simples: não se pretende a substituição das urnas eletrônicas e o retorno à votação em cédulas de papel”, afirmou.

Com informações CNN