Programa que permite redução de jornada e salário será prorrogado por 2 meses 16,3 milhões de acordos foram feitos Impactou 9,6 milhões de pessoas

Presidente Jair Bolsonaro com min. Paulo Guedes, Ricardo Barros, Luiz Eduardo Ramos-,Braga Neto, durrante assinatura da MP do Programa de Facilitação ao acesso ao crédito, no Palacio do Planalto. Sérgio Lima/Poder360 19.08.2020
Guedes classificou saldo positivo dos empregos formais como uma notícia extraordinária Sérgio Lima/Poder360 – 19.ago.2020


21.ago.2020 (sexta-feira) – 15h54

O governo vai prorrogar, por 2 meses, o programa que autoriza empresas a reduzirem a jornada de trabalho e o salário de funcionários. O anúncio foi feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta 6ª feira (21.ago.2020), durante apresentação do saldo de empregos formais de julho, que teve resultado positivo de 131 mil vagas.

As regras do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda foram definidas por meio da Medida Provisória 936, editada em abril pelo presidente Jair Bolsonaro. A iniciativa visa a evitar demissões em massa durante a pandemia da covid-19.

O programa já beneficiou 1,4 milhão de negócios, segundo o governo. Foram feitos 16,3 milhões de acordos, impactando 9,6 milhões de pessoas.

Bruno Bianco, secretário especial de Previdência e Trabalho, disse que nem todos os setores vão precisar da prorrogação do programa porque a economia está se recuperando.

Assista abaixo (10min15s):

ENTENDA O PROGRAMA

A jornada de trabalho e o salário do empregado podem ser reduzidos em 25%, 50% ou 70% por até 180 dias.

Os trabalhadores afetados recebem compensação do governo, podendo chegar ao valor total do que ganhariam de seguro-desemprego se tivessem sido demitidos.

A intenção do governo com o benefício é evitar uma onda de demissão de funcionários com carteira durante o período de paralisia econômica. O governo estima pagar R$ 22,6 bilhões até o fim do programa.