Vacinas com tecnologia RNA como a Pfizer e a Moderna imunizam contra a Covid por até 3 anos, aponta estudo suiço

Coronavirus Covid-19 Protection and Vaccine. Doctor drawing up solution from vaccine bottle and filling syringe injection for patient vaccination in medical clinic, Coronavirus in background

Foto: Pfizer/reprodução

As vacinas contra a covid-19 desenvolvidas com a tecnologia de RNA mensageiro (como as de Moderna e Pfizer/BioNTech) podem evitar durante três anos que um adulto sofra casos graves da doença, segundo um estudo realizado por pesquisadores suíços e divulgado na sexta-feira (25).

A pesquisa, publicada pelo Grupo Científico de Trabalho contra a Covid-19, dependente do governo da Suíça, por outro lado, reduz para 16 meses a possível imunidade das pessoas vacinadas com tais imunizantes contra as formas moderadas da doença.

Segundo os cientistas suíços, as vacinas de Moderna e Pfizer/BioNTech (as únicas atualmente administradas na Suíça) criam uma resposta de anticorpos entre duas e quatro vezes maior do que a dos que sobreviveram à doença, o que significa uma proteção mais duradoura.

O estudo detalha que a duração desta proteção pode diminuir entre pessoas com mais de 75 anos e, portanto, cair para entre 15 e 24 meses contra formas graves da covid-19, e entre sete e dez meses para versões moderadas (sempre com vacinas de RNA de mensageiro).

A duração do período de imunização das vacinas será importante na organização de campanhas de reforço e também para determinar a validade dos “certificados covid-19”, que pelo menos a curto prazo poderão ser necessários para viajar ou comparecer a eventos de massa na Suíça e em outros países.

O texto indica que os períodos de proteção calculados podem ser reduzidos, mas não exatamente quanto, no caso da variante Delta, que é mais contagiosa do que as cepas anteriores do coronavírus e parece precisar de uma maior quantidade de anticorpos no corpo para ser neutralizada.

R7