A grande segurança do sistema é o hacker não querer fraudar’ diz Fiuza sobre urnas eletrônicas no Brasil

Para o colunista de Oeste, há ‘múltiplas possibilidades de fraudar o atual sistema eleitoral brasileiro’

Ao comentar as declarações do hacker Marcos Roberto Correia da Silva, conhecido como VandaTheGodque confessou invadido os sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições municipais do ano passado, o comentarista da Jovem Pan Guilherme Fiuza, colunista da Revista Oeste, afirmou que o modelo 100% eletrônico utilizado no Brasil só está protegido caso os criminosos digitais não queiram praticar seus delitos.

 

“Nós vimos a exposição das múltiplas possibilidades de fraudar o atual sistema eleitoral brasileiro. A grande segurança do sistema é o hacker não querer fraudar, o pirata não querer invadir, o bandido não querer desviar votos para um cliente seu. Se quiser fraudar, vai fraudar”, afirmou Fiuza na edição desta segunda-feira, 19, de Os Pingos nos Is, da Jovem Pan.

O colunista de Oeste criticou também as manobras de partidos de oposição ao governo de Jair Bolsonaro que decidiram fazer mudanças nos nomes de seus indicados para a comissão da Câmara que analisa a proposta do voto verificável — uma das principais bandeiras do presidente.

“É uma comissão que foi operada, que foi viciada aos olhos de todo mundo. Nós vimos uma movimentação atípica dos donos dos partidos fazendo substituições à beira do gramado”, afirmou Fiuza.TB