Após duelo de Ciro e Dilma, comandos de PDT e PT entram na briga

Carlos Lupi diz que tentam fazer com o pedetista o mesmo que fizeram com Brizola, enquanto Gleisi Hoffmann diz que país não tem tempo para ‘grosserias delirantes’ do ex-governador

Após a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) baterem boca pelas redes sociais, a crise chegou aos comandos partidários dos dois partidos. Gleisi Hoffmann, presidente do PT, e Carlos Lupi, comandante don PDT, comentaram o assunto nas redes sociais.

O primeiro a se manifestar foi Lupi, que comparou o episódio a críticas recebidas por Leonel Brizola, ex-governador do Rio e que foi candidato à Presidência pelo PDT e acabou ficando fora do segundo turno após uma disputa acirrada com Lula em 1989. Na ocasião, o hoje senador Fernando Collor acabou vencendo o petista, que só chegaria ao Palácio do Planalto após duas derrotas para Fernando Henrique Cardoso (PSDB)

“O que fazem com Ciro Gomes é, guardadasa as devidas proporções, o que vi fazerem com Brizola. Querem mater o carteiro para não lerem a carta”, disse Lupi.

Gleisi Hoffmann foi mais direta e citou diretamente o episódio.

“O povo brasileiro sofre com desemprego, carestia, pandemia, pobreza e fome. É sobre isso que queremos conversar com a sociedade e as forças políticas. O Brasil não tem tempo para as grosserias delirantes de Ciro, que só é notícia ofendendo Lula e Dilma. O povo espera muito de nós”, afirmou a presidente do PT.

Nesta quarta-feira (13), Ciro e Dilma discutiram pelas redes sociais após o pedetista afirmar que Lula teria conspirado pelo impeachment da petista. Dilma afirmou que Ciro estaria “mergulhado no fundo do poço”, enquanto ele afirmou que ela era “incompetente, inapetente e presunçosa”.terra brasil