Narcotráfico patrocinou partidos de esquerda na América Latina e Europa, afirma jornalista espanhola

Uma rede narcoterrorista, com raízes na Venezuela e ramificações espalhadas pelo mundo, tem usado o dinheiro obtido com o tráfico de drogas para patrocinar campanhas eleitorais e conquistar governos na América Latina e Europa. A denúncia é da jornalista espanhola Cristina Segui, uma das mais conhecidas na Espanha. Ela é especializada na política ibero-americana.

Recentemente, foi preso em Madrid o ex-chefe da Inteligência de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, Hugo Carvajal. Conhecido como Pollo, ou Frango, ele é uma peça fundamental nesse esquema. Hoje, ele aguarda a decisão da Justiça espanhola — que pode confirmar ou não o pedido de extradição feito dois anos atrás pelo Departamento Antidrogas dos Estados Unidos, o DEA. A informação é da Gazeta Brasil.

Segundo a jornalista, o Centro Nacional de Inteligência da Espanha sabia aonde o chavista estava escondido, mas acobertou. De acordo com Cristina, o órgão é administrado por partidos socialistas financiado pelo narcotráfico da América Latina.

Em entrevista ao Jornal da Record, a jornalista disse que o Foro de São Paulo, tem uma estrutura criminal.

O Foro de São Paulo é uma organização de esquerda, que reúne mais de 120 partidos políticos de quase 30 países da América Latina e do Caribe. Criado em 1990, por iniciativa dos ex-presidentes Fidel Castro e Luiz Inácio Lula da Silva, que, na época, era dirigente do PT, teve como ponto de partida um seminário internacional que discutiu a crise do socialismo após a queda do Muro de Berlim, em 1989. Como o primeiro encontro aconteceu na cidade de São Paulo, o Foro acabou ganhando o nome da capital paulista. E, a partir daí, o movimento se consolidou.terra Brasil