O RN é um Estado criminoso, representado por Fátima Bezerra, diz Zé dias

“O Coronel Araújo é o bode expiatório”, afirmou o deputado estadual José Dias, sobre os crescentes casos de violência no Rio Grande do Norte (RN) e as especulações de uma possível saída do secretário estadual de Segurança Pública, Coronel Francisco Araújo. Para o parlamentar, a violência no Estado está em um grau extremamente alarmante e o descaso do poder público é a prova da falta de interesse e de competência da GovernadoraFátima Bezerra (PT), a quem classificou como “criminosa no sentido político, mas não no Código Penal”.

“O coronel Araújo é um policial honrado, conciliador, transigente e que sabe negociar politicamente as situações. A realidade é duríssima, não apenas no RN, mas aqui estamos vivendo no abismo, não estamos mais o contemplando, como o mundo está. E sobre o coronel Araújo, me lembra da história dos times de futebol: sempre que o time vai mal, falam em demitir o técnico, quando deveriam é destituir a diretoria toda. É isso que deveria acontecer no governo do Rio Grande do Norte. Destituir primeiro a rainha, a dona e aí, o restante”, afirmou.

Para ele, a questão da segurança no Rio Grande do Norte (RN) tem dois problemas graves: gerencial, pois o governo que não sabe administrar o Estado e político-ideológico, porque a gestão só prioriza o partido. Ele citou o déficit no número de policiais militares e civis, a precariedade de material de trabalho (armas, munições e viaturas) e até falta de alimentação para os profissionais, o que compromete o desempenho e a saúde destes. “O governo não liga, só dá prioridade ao PT, isso é tão evidente que é impossível não perceber”, afirmou.

“O Estado é criminoso e o Estado é representado pela governadora, então, consequentemente, ela é criminosa, no sentido político da palavra, não falo no Código Penal, que não sei. Isso é um alarme em relação à segurança, que é fundamental não apenas para preservar nossas vidas, mas um instrumento importante na alavancagem de investimentos para atrair turistas ao nosso Estado. Quando se passa para o capítulo da saúde, a coisa se torna ainda mais dolorosa e revoltante”, desabafou. Xerife