Vacina ‘Clover’, contra a Covid-19, que teve Natal como um dos locais de testes, apresenta eficácia de 100%

EXTRA: Clover mostra eficácia de 100% contra casos graves de Covid – Estudo da vacina foi feito em voluntários no Brasil, Filipinas, Colômbia, África do Sul e Bélgica. Foto: Divulgação

Desde o março de 2021, foram iniciados no Brasil os estudos clínicos para a vacina Clover, imunizante contra Covid 19. Em Natal, o Instituto Atena de Pesquisa Clínica foi a instituição responsável pelos estudos, tendo a médica Sanali Paiva como investigadora principal e coordenadora do estudo em nosso País.

Após a recente conclusão da fase 3 dos testes, a fabricante da vacina Clover, Sichuan Clover Biopharmaceutical, declarou através da médica Sue Ann Costa Clemens, professora da Universidade de Oxford, membro do comitê científico do estudl, que o imunizante mostrou eficácia de 100% para casos graves da doença, evitando mortes. O estudo considerou a eficácia do imunizante através da quantidade de anticorpos no sangue, e a imunidade celular, reafirmando uma maior proteção e uma maior memória imunológica. O resultado para as variantes que evoluem para os quadros mais severos da Covid-19, também é de 100%, incluindo a Gama e a Delta, cepas QUE atualmente mais circulam no Brasil. Já para os casos leves a moderados contra qualquer variante – quando não necessita de hospitalização – a eficácia foi de 83%. A pesquisa revelou eficácia em todos os casos que foram sequenciados, inclusive em indivíduos soropositivos e que já tinham sido previamente infectados com a Covid 19.

A médica e pesquisadora potiguar Sanali Paiva, diretora do Instituto Atena, destaca a importância dos voluntários que aderiram ao estudo: “cada pessoa, cada um que colaborou com nossa pesquisa teve uma função muito importante. Valeu a pena, e nós agradecemos a todos os voluntários pela colaboração”. A diretora do Instituto Atena informa ainda que a ‘quebra do cego’, como é chamado o momento em que o voluntário fica sabendo se recebeu placebo ou vacina durante a pesquisa, deverá acontecer no fim de outubro.

REGISTROS

A fabricante chinesa informou aos órgãos de imprensa que está entrando com pedidos de registro do imunizante na China, União Europeia e Organização Mundial da Saúde (OMS). A médica Sue Ann, prevê uma reunião já na próxima semana para apresentar as informações à agência para o processo regulatório. Ela destacou também que o estudo não detectou nenhum caso da cepa original, em nenhum dos sequenciamentos, o que significa que a cepa original da Covid 19 já foi quase totalmente substituída pelas cepas variantes. No Brasil, também já iniciaram as tratativas com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a submissão dos resultados do estudo.

A fabricante pretende apresentar à Anvisa pedido de autorização para conduzir um estudo no Brasil sobre a dose de reforço (ou terceira dose). O objetivo será aplicar a Clover em diferentes concentrações para definir qual a melhor quantidade de reforço.bg